quarta-feira, 15 de setembro de 2010

PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGOGICA NA APRENDIZAGEM: ENSINANDO E APRENDENDO"

ESTADO DO TOCANTINS
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA
DIRETORIA REGIONAL DE ENSINO DE GUARAÍ
COLÉGIO ESTADUAL JOSÉ COSTA SOARES
GUARAÍ – TOCANTINS

















PROJETO DE INTERVENÇÃO
PEDAGÓGICA NA APRENDIZAGEM:
“ENSINANDO E APRENDENDO”


















GUARAÍ, MAIO/2010



1 – IDENTIFICAÇÃO

 NOME DO PROJETO: Projeto de Intervenção Pedagógica na Aprendizagem
“ - Ensinando e Aprendendo”
 ESCOLA: Escola Estadual José Costa Soares

 LEI DE CRIAÇÃO: Lei Nº 172/90 de 27 de julho de 1990

 ENDEREÇO: Rua 06 de agosto, 1367

 CIDADE: Guaraí-TO LOCALIZAÇÃO: Zona Urbana
 EMAIL:josecostasoares@ue.seduc.to.gov.br

 NIVEIS E MODALIDADES DE ENSINO:
Ensino Fundamental - Integral de 1º ao 5º ano

 Nº. DE ALUNOS 2008: 186

 DIRETOR DE UNIDADE ESCOLAR: Raimunda Guimarães Araújo

 DIRETOR ADMINISTRATIVO ADJUNTO: Leiliane Peixoto Negreiro

 AUXILIAR DE SECRETARIA: Simony Ribeiro Gomes

 SUPORTE PEDAGÓGICO: Elisete Fonseca Primo Oliveira
 COORDENADORA DO PDE – Escola: Glácia Maria da Cruz Botelho

 COORDENADOR – UCA: Maria do Socorro Rodrigues Barros

 AUXILIAR PEDAGÓGICO: Dionília Pereira da Silva / Roza Gomes Melo
e Maria Gomes Miranda



2 - INTRODUÇÃO



A Escola Estadual José Costa Soares, situada a Av. 06 de Agosto n º 1367, na cidade de Guaraí, Estado do Tocantins. por fazer parte do sistema educacional Tocantinense, sendo financiada com recursos públicos, tem seus princípios definidos no Regimento Escolar da S SEDUC – TO, 2007. De acordo com o Art. 3º A UE tem por finalidade ministrar: I – a educação básica nos níveis fundamental e médio, e em suas modalidades, de acordo com: a) o disposto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional; b) as demais normas federais e estaduais, em especial os pareceres e as resoluções do Conselho Nacional de Educação – CNE e do Conselho Estadual de Educação do Tocantins – CEETO;
O ensino deve ser ministrado tendo em vista:
a) a compreensão dos direitos e deveres do ser humano, do cidadão, do Estado, da família e dos demais grupos que compõem a comunidade;
b) o respeito à dignidade e às liberdades fundamentais do ser humano;
c) o fortalecimento da unidade nacional e da solidariedade internacional;
d) o desenvolvimento da personalidade humana para participação na obra do bem comum;
e) o preparo do indivíduo e da sociedade para o domínio dos recursos científicos e tecnológicos que lhes permitam utilizar as possibilidades vencendo as dificuldades do meio;
f) a preservação e valorização do patrimônio cultural;
g) propiciar a aquisição de valores e motivação para oportunizar a participação ativa na proteção ao meio ambiente e na resolução dos problemas ambientais;
h) a não aceitação de qualquer tratamento discriminatório.
Conforme Art. 4º

Cumpre à UE: I – promover, com a participação da comunidade, a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, com vistas ao pleno desenvolvimento do educando, ao preparo para o exercício da cidadania e à qualificação para o trabalho; II – adequar – se às realidades socioeconômica e cultural da comunidade a que serve.

Sendo que as unidades escolares devem ministrar seus ensino conforme o Art. 5 o Ministrar o ensino com base nos seguintes princípios: I – igualdade de condições de acesso e permanência com sucesso na UE; II – liberdade de: a) ensinar; b) aprender; c) pesquisar; d) divulgar: 1º o pensamento; 2º a arte; 3º o saber; III – preservação dos valores educacionais da Nação, do Estado, da região e do lugar; IV – pluralismo de idéias e concepções pedagógicas; V – garantia do padrão de boa qualidade; VI – valorização da experiência extra - escolar.

3 - JUSTIFICATIVA


Diante dos baixos resultados, apresentando pelos alunos, nas avaliações internas do primeiro bimestre, resultados estes comprovado através das Avaliações do IAS e de Fichas de Acompanhamento de Leitura, a Escola Estadual José Costa Soares percebe a necessidade de urgentemente elaborar e executar ações voltadas para minimizar a situação passando então inicialmente a elaboração deste projeto que vem propor e adotar medidas interventivas para assegurar a aprovação, com qualidade, de todos os seus alunos visto que esta escola, por ser Escola de Tempo Integral, deve assumir-se como a maior responsável pela efetivação do processo de Ensino e Aprendizagem de seus alunos, vem criar um Termo de Compromisso entre seus servidores, onde ficarão registradas as distribuições de apoio pedagógico a professores e alunos de todas as turmas. Este Termo de Compromisso, será elaborado de forma democrática e em seguida todos os servidores assinarão o documento, para assim estar ciente de seu papel como ator do processo. com a finalidade de alcançar as metas propostas pelo Sistema Educacional do Tocantins, consciente de que o não cumprimento acarretará em prejuízos não apenas para o seu aluno mas também para a própria instituição;
Considerando que a Escola não tem alcançado as metas determinadas pelo Instituto Airton Senna e pela Secretaria de Educação do Tocantins;
Considerando que a Unidade Escolar teve um resultado abaixo do esperado nas Avaliações do IAS, e que não tem apresentado evoluções significativas quanto ao desenvolvimento dos alunos;
Considerando que Diretoria Regional de Ensino tem cobrado uma postura de ajustamento às metas e a aprendizagem dos alunos; cabe aos servidores em educação de todas as instituições educacionais, encontrarem meios eficazes, para o processo de ensino e aprendizagem, alcançando a qualidade de ensino, sem qualquer custo para o aluno, para que possa prosseguir na vida estudantil com sucesso.
Cabendo assim a todos os servidores maior responsabilidade, no que se refere a:
• Planejar suas aulas;
• Cumprir o horário;
• Repassar as informações em tempo hábil;
• Comprometer - se com um ensino de Qualidade
• Apresentar todas as 2ª feiras os planejamentos com as atividades a Coordenação Pedagógica
• Ter domínio de sala de aula e dos conteúdos ministrados;
• Contribuir para o alcance das metas do IAS.
• Aumentar em 70% ,já no próximo bimestre, de forma homogênea, os resultados dos alunos;



4 – OBJETIVOS:
4.1 - GERAL

Melhorar o desempenho acadêmico dos alunos, de 1º a 5º ano do Ensino Fundamental, desenvolvendo no indivíduo a capacidade de ler, a curiosidade, o raciocínio crítico, o gosto pela leitura, proporcionando o desenvolver individual do hábito de leitor e a formação de conceitos através da pesquisa, e no que se refere prioritariamente à leitura, escrita. Interpretação de textos e melhorar o desempenho com as Quatro Operações.


4.2 – OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

• Proporcionar aos professores e alunos as condições de acesso à informação, em diversas áreas do saber.
• Criar situações de convívio com a leitura para despertar no aluno o prazer de ler;
• Proporcionar a leitura de diferentes gêneros literários: ( contos, crônicas, fábulas, lendas, paródias, poemas, prosa, etc..) e informativos, jornais, revistas, livros, etc..)
• Incentivar a prática de leitura reflexiva.
• Proporcionar a prática de leitura reflexiva.
• Desenvolver a oralidade e expressão corporal do educando;
• Incentivar os professores para a utilização dos diversos materiais de leitura disponíveis.
• Realizar o “Dia D da Leitura”.




5 - META

Elevar o índice de aprovação, com qualidade, de 65% para pelo menos 95%, em todas as turmas de alunos matriculados e freqüentes nesta Unidade de Ensino de 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental.

6– METODOLOGIA.

Atenderão os casos de indisciplina ocorridos na U. E. de forma rápida e eficaz, solucionando os problemas e aplicando as penalidades previstas do Regimento Escolar vigente, mas principalmente dando todo o suporte indispensável a todos os professores conforme o prescrito no Temo de Compromisso, firmado entre todos os servidores envolvido com esta escola, todos os esforços serão dispensados com um objetivo maio, melhorar o desempenho acadêmico, dos alunos da referida escola, onde serão distribuídas por turmas, entre seus Suportes Pedagógicos, as necessárias aulas de reforço, extras, a serem ministradas, tendo como objetivo maior a melhoria do desempenho acadêmico dos alunos.
Ficando assim distribuídos:
Elisete Fonseca Primo Oliveira:
• Visitar e fazer observações às turmas 1º ao 5º ano
• Auxiliar a professora Maria de Sousa Santos Neta, na leitura dos alunos da turma “A” que não apresentam rendimento satisfatório; Planejar e auxiliar na elaboração de atividades que contribuam para aquisição das habilidades exigidas pelo programa IAS.
• Informar a DRE através dos Formulários de acompanhamento que compõe a sistemática do IAS os resultados mensais, bimestrais e anuais.

GLAUCIA MARIA DA CRUZ BOTELHO
• Responsável por coordenação as organização dos eventos constantes no PPP e no CRONOGRAMA DE DATAS COMEMORATIVAS.
• Auxiliar os alunos com baixo rendimento em leitura do 5º ano e monitorar a leitura de todos os alunos semanalmente.
• Auxiliar na leitura dos alunos desta turma que não apresentam rendimento satisfatório; auxilia no planejamento e na elaboração de atividades que contribuam para aquisição das habilidades exigidas pelo programa IAS.

MARIA DO SOCORRO RODRIGUES BARROS:
• Auxiliar a professora Valdete, na turma do 2º ano “B” que apresentam baixo desempenho
• Coordenar e monitorar as ações do Programa UCA, dando atenção as solicitações dos professores, apoiando, assessorando e Monitorando a realização das ações do Programa UCA..

RAIMUNDA GUIMARAES ARAUJO:
• Responsável em visitar quinzenalmente as turmas de 1º ao 5º ano, Se Liga e Acelera.
• Monitorar a leitura dos alunos do 4º ano com baixo rendimento
• Consultar a equipe sobre qualquer tomada de decisão que se refere às questões pedagógicas.
FRANCISCA FERNANDES DE SOUSA REZENDE:
• É responsáveis em realizar visitas domiciliares aos alunos faltosos, sendo responsáveis pelo envio dos relatórios sobre evasão.
• Auxiliar a professora Armelinda, na leitura dos alunos da turma: 1º ano “U” que não apresentam rendimento satisfatório; ajudar a ´planejar e auxiliar na elaboração de atividades que contribuam para aquisição das habilidades exigidas pelo programa IAS.

ROZA GOMES DE MELO:

• Coordenar as atividades da biblioteca e auxiliar os professores na realização das atividades de leitura propostas para serem realizadas com apoio da bibliotecária.
• Auxiliar a professora Andrea na leitura dos alunos da turma: 3º ano “A” que não apresentam rendimento satisfatório; ajudar a ´planejar e auxiliar na elaboração de atividades que contribuam para aquisição das habilidades exigidas pelo programa IAS.



• DIONILIA PEREIRA DA SILVA:

• Coordenar as ações de aquisição de gêneros alimentícios, elaborando cardápios e aplicando bimestralmente os testes de aceitabilidade. Coordenar a preparação e distribuição dos alimentos.
• Auxiliar a professora Aline, na leitura dos alunos da turma: 3º ano “B” que não apresentam rendimento satisfatório; ajudar a ´planejar e auxiliar na elaboração de atividades que contribuam para aquisição das habilidades exigidas pelo programa IAS.



7 – MONITORAMENTO


Acompanhando e incentivando a equipe nas dificuldades posicionando-a para uma posição de educadores desafiados a mudar e inovar com o intuito de atender as expectativas da atual sociedade e assim adquirir novas técnicas metodológicas capazes de transformarem o espaço-escola do aprendiz em algo dinâmico, significativo e participativo, aproximando a teoria da prática com uma postura interdisciplinar, permitindo a criação de destrezas para com a vida.
Por isso, realizaremos este trabalho, fornecendo subsídios para que ele possa se desenvolver centrado nas necessidades de aprendizagem nas disciplinas de Língua Portuguesa, MAS ESPECIFICAMENTE LEITURA E ESCRITA, diagnosticando as dificuldades encontradas, através de observação dos trabalhos desenvolvidos, da participação e do desempenho individual de cada aluno, dos levantamentos de dados da eficácia das metodologias aplicadas e dos índices, conforme o que está previsto no Plano de Ação.
As ações realizadas serão monitoradas, bimestralmente, pela equipe pedagógica com a coordenação da gestora pedagógica da Unidade Escolar no último planejamento coletivo de cada bimestre, e acompanhada bimestralmente pela equipe da Diretoria Regional de Ensino.





8 – AVALIAÇÃO


A avaliação não é um mero complemento do processo educativo, mas é parte integrante e fundamental no processo educativo. Por meio dela a equipe escolar fica sabendo como estar a aprendizagem dos alunos e obtém subsídios para refletir e melhorar a prática das ações executadas. A prática permanente do ato de avaliar é indispensável em todas as ações humanas e principalmente em nossas ações pedagógicas, por ser um instrumento prático e dinâmico visando alcançar os objetivos para efetivação do processo Ensino e Aprendizagem.
Durante a execução das ações propostas no Projeto a equipe pedagógica desta Unidade de Ensino será utilizada como instrumento de avaliação a observação, o monitoramento realizado bimestralmente e o acompanhamento da equipe da Diretoria Regional de Ensino para refletir, agir e redirecionar as atividades pedagógicas propostas no Plano de Ação levando em conta as necessidades de nossa clientela, para que haja uma política educativa de qualidade e com resultados satisfatórios para todos os envolvidos.




________________________________________________________
Raimunda Guimarães Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário